REFLEXÕES NECESSÁRIAS: “O COLÉGIO É BOM NO QUE SE PROPÕE, QUE É FAZER AS PESSOAS PASSAREM NO VESTIBULAR”

REFLEXÕES NECESSÁRIAS: “O COLÉGIO É BOM NO QUE SE PROPÕE, QUE É FAZER AS PESSOAS PASSAREM NO VESTIBULAR”

Benigna Maria de Freitas Villas Boas

Publicado em http://gepa-avaliacaoeducacional.com.br

A revista Brasília Encontro, do mês de setembro, apresenta, como reportagem de capa, “Os segredos das campeãs”, isto é, das escolas que obtiveram as melhores notas no Enem. O texto descreve por que “elas são realmente muito acima da média” A maioria “tem carga horária superior à exigida e aposta na qualificação dos professores”.

Na escola mais bem colocada “aprende-se todo o conteúdo dos três anos em apenas dois. O último é usado para revisão de conteúdo, com carga horária de 40 horas semanais. A matéria vista em sala de aula é reforçada no contraturno, com monitoria e oficinas de redação”. Um dos alunos assim se posiciona: “Os professores são muito bons, o colégio é conteudista, vemos a matéria várias vezes. Temos prova todo sábado, o que nos faz estudar toda semana. A convivência com colegas dedicados nos faz estudar ainda mais”. Outra estudante afirma: “Os colegas se influenciam. O ambiente é focado nos estudos. Temos uma boa relação com os professores também, mas, se alguém faz barulho na sala, os colegas é que pedem silêncio. Um estudante compreende que “O grande diferencial […] é o foco no vestibular. Não tem gincana, nem passeio. A proposta é treinar para fazer prova de vestibular. O colégio é bom no que se propõe, que é fazer as pessoas passarem no vestibular”. Read more →

27
Sep 2014
AUTHOR Villas Boas
COMMENTS 2 Comments

POR DENTRO DA ESCOLA

Por dentro da escola

Publicado em 09/09/2014 por Luiz Carlos de Freitas – Blog do Freitas

Um leitor me envia a seguinte descrição:

“Acabo de receber por email a informação de que a escola em que trabalho conseguiu um dos maiores IDEB do país. Pulou de 2,2 em 2011 para 4,2 no que acabou de sair. Assim como a informação da possibilidade do recebimento de bonificação por resultados.

O Secretário de Educação do Estado comemorou o resultado do IDEB, entretanto o que ele não menciona é que retirou parte considerável dos alunos com defasagem idade-série do ensino regular, colocando-os no chamado Projeto/Programa Autonomia (classes de aceleração) e que no último ano os professores foram surpreendidos no último conselho de classe do ano com a informação que algumas disciplinas como língua estrangeira não reprovariam. Além de se criar outros entraves para a reprovação de alunos, como a obrigação de ter que elaborar um plano de estudos detalhado e diferenciado para cada aluno que ficou em dependência.

Juntando isto com a política de responsabilização, o sujeito obviamente alterou mecanicamente o fluxo escolar para que o índice subisse. E ainda tem coragem de comemorar isso.”

 

 

 

 

 

 

 

i

 

09
Sep 2014
AUTHOR Villas Boas
CATEGORY

IDEB

COMMENTS No Comments