USA: TESTES NÃO DIMINUEM DESIGUALDADE

Vale a pena acompanhar essa discussão. O Brasil precisa repensar a adoção dos testes padronizados. Têm servido a quê? Que contribuições têm trazido ao trabalho de sala de aula? O Distrito Federal não deve aderir a essa prática danosa aos estudantes e à escola como um todo.

 

“USA: testes não diminuem desigualdade

Publicado em 23/06/2015 por Luiz Carlos de Freitas no blog do Freitas

Sessenta organizações educacionais e de direitos civis nos Estados Unidos enviam carta ao Senado americano.

“Nós, as organizações abaixo assinadas, nos opomos aos testes de alto impacto porque acreditamos que estes testes estão causando danos aos alunos, às escolas públicas e para a causa da equidade educacional. Os testes padronizados de alto impacto, em vez de reduzir o fosso de oportunidades, têm sido usados ​​para classificar, ordenar, etiquetar e punir os estudantes negros e latinos, e imigrantes recentes a este país.

Opomo-nos aos testes de alto impacto, porque:

Não há nenhuma evidência de que estes testes contribuam para a qualidade da educação, levem a uma maior equidade educacional em financiamento ou programas, ou ajudem a fechar as “lacunas de desempenho.” Read more →