Estudantes brasileiros estão entre os piores para trabalhar em equipe

20171124_125547

Estudantes brasileiros estão entre os piores para trabalhar em equipe

Reportagem do jornal O Globo, do dia 21/11/2017, revela resultado de um relatório do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), segundo o qual os estudantes brasileiros estão entre os piores, em meio a 52 países ou economias com dados disponíveis, no que diz respeito a resolver problemas de maneira colaborativa, ou seja, escutando outras opiniões, compartilhando esforço com colegas e reunindo conhecimentos para chegar a uma solução. A média de 412 pontos obtida pelos brasileiros nessa competência ganha somente da Tunísia, que registrou 382 pontos.

O Pisa avalia a cada três anos o desempenho de alunos de 15 anos nas disciplinas de matemática, ciências e leitura. Além disso, coleta dados paralelos em relação a esses estudantes. Para analisar a competência relativa à resolução de problemas de maneira colaborativa, o exame aplicou questões interativas e de múltipla escolha, nas quais os outros agentes envolvidos na resolução da tarefa eram simulações computadorizadas. O aluno foi avaliado a partir de suas interações e respostas em relação a esses agentes.

O relatório mostra ainda um detalhe curioso. Nas nações e economias com melhores desempenhos no que diz respeito à capacidade de trabalhar em equipe, também são observadas as melhores notas nas avaliações de matemática, leitura e ciências. Em países como Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Cingapura, Estados Unidos e Reino Unido, mais de 69% dos estudantes com melhores notas nessas provas também têm alto desempenho na competência que mede a capacidade de resolução de problemas de maneira colaborativa. Segundo a pesquisa, essa forte relação entre a habilidade de colaboração e boas notas nas provas regulares indica que as competências cognitivas e sociais são desenvolvidas em conjunto na sala de aula.

No Brasil, acontece o oposto. A relação entre boas notas nas disciplinas e desempenho satisfatório na competência de resolução de problemas é fraca. O diagnóstico do estudo é que essa característica pode indicar que isso pode significar que “as habilidades colaborativas de resolução de problemas no país são desenvolvidas independentemente de habilidades e alfabetização nos três principais assuntos do Pisa (matemática, leitura e ciências).”

.

 

 

 

 

Deixe o seu comentário