Excertos do resumo do Relatório de Monitoramento Global da Educação UNESCO – 2017/8

20171015_150934

Excertos do resumo do Relatório de Monitoramento Global da Educação UNESCO – 2017/8

Responsabilização na educação: cumprir novos compromissos

Observação: os fragmentos abaixo devem ser lidos e interpretados com criticidade e contextualização. A sua escolha para inserção aqui não significa que tenham todos a nossa aprovação. Há aspectos questionáveis. O site da UNESCO apresenta o relatório na íntegra.

A palavra responsabilização “demonstra a importância que a UNESCO e a comunidade internacional atribuem às funções de revisão e acompanhamento para catalisar e monitorar os progressos”.

“A responsabilização não pode ser atribuída com facilidade a atores únicos porque resultados educacionais ambiciosos dependem de múltiplos atores cumprirem responsabilidades, muitas vezes compartilhadas”.

“Os cidadãos necessitam de informações válidas para responsabilizar os governos. A mídia pode servir de fiscal do governo, ajudando os cidadãos a avaliar seu desempenho”.

“Os governos que designam especialistas, consultores ou doadores para esboçar planos rapidamente, correm o risco de prejudicar a apropriação e o comprometimento locais”.

“A responsabilização com base no desempenho pode resultar em um ajuste negativo das escolas, que podem manipular o sistema e evitar sanções à exclusão de reformas de longo prazo”.

“Um possível mecanismo de responsabilização é a competição. A ideia é que, se os pais ou responsáveis puderem escolher a escola de seus filhos, as escolas se sentem pressionadas a ter um desempenho melhor para atrair estudantes”.

“Oferecer ensino de qualidade é a principal responsabilidade dos professores”.

“Há uma tendência clara de transferir para as escolas as responsabilidades educativas e administrativas. Juntamente com a introdução de sistemas de responsabilização mais fortes, essa tendência aumenta a carga de trabalho e requer habilidades adicionais por parte dos professores e dos líderes escolares, o que pode conduzir a reclamações: no Reino Unido, por exemplo, 56% dos professores relataram que a coleta e a gestão dos dados causaram trabalho desnecessário”.

“Os governos deveriam desenvolver mecanismos de responsabilização de escolas e professores que sejam acolhedores e educativos, e evitar mecanismos punitivos, principalmente com base em medidas restritivas de desempenho”. (destaque meu)

 

 

 

Deixe o seu comentário