O CARÔMETRO DA MERITOCRACIA E O PODER DA AVALIAÇÃO CLASSIFICATÓRIA

Erisevelton Silva Lima

Ao entrar em uma escola de ensino médio da rede privada de ensino do Distrito Federal, deparei-me com um mural intitulado “Alunos Destaques do 1º trimestre de 2013”. Considerando o quantitativo de alunos matriculados naquela instituição, calculei que cerca de 10% dos estudantes são, para ela, considerados dignos de “destaque”. Os critérios utilizados para a escolha ou o que fez aquele diminuto grupo ser considerado “melhor” que os demais estudantes não estavam explícitos no painel de louvores. Depreendi dali que a velha face da avaliação somativa que se transformou em classificatória para estimular a competição, tomando lugar da aprendizagem colaborativa. Também chamou-me a atenção o fato de um adolescente lamentar seu rosto não configurar entre os iluminados que dividiam aquele pódio – o painel era formado por fotografias grandes e com letras chamativas destacando-se o dizer: PARABÉNS!
Assim disse o jovem não classificado:
“_ Nunca que eu vou ver minha foto aqui, até parece… o professor fulano de tal me detesta.” Read more →