INDICADORES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA PERSPECTIVA DA AVALIAÇÃO FORMATIVA

INDICADORES E CRITÉRIOS NA PERSPECTIVA DA AVALIAÇÃO FORMATIVA

Por: Erisevelton S Lima – Doutor em Educação pela UnB, membro do GEPA e Formador da EAPE na SEDF

O debate sobre a avaliação com profissionais da educação e de outras áreas parece recair, quase sempre, na angústia do “como” avaliar sobrepondo-se ao “por que e ao para que” avaliar. Não é possível fugirmos desse entrave ou insistirmos, sem êxito, nessa questão. Na lógica de procurar alguma resposta aos tais anseios, apresento algumas ideias e reflexões que sugerem orientar, de alguma forma, elementos práticos reivindicados nessas discussões, qual seja: como trabalhar com indicadores e critérios para a avaliação na perspectiva formativa? Não obstante, lembro que a avaliação continua sendo um campo complexo e repleto de contradições (Freitas et al, 2009). Não bastam, apenas, técnicas e tentativas de padronização para, de fato, realizar procedimentos éticos e formativos da avaliação. O tema é polêmico e controverso, mas precisa ser enfrentado. Read more →

A HORA E A VEZ DE PROJETOS INTERVENTIVOS

A hora e a vez de projetos interventivos

Profa. Dra. Maria Susley Pereira[1]

O processo de elaboração da Base Nacional Comum Curricular – BNCC pelo Ministério da Educação sugere, em linhas gerais, uma preocupação com ações que visam fortalecer a educação no Brasil, sendo este aspecto fundamental para o avanço de qualquer nação.

Sem adentrarmos os pontos que vêm produzindo diferentes posicionamentos críticos acerca de sua proposição, a BNCC enseja ser vista como um documento de referência que favoreça nortear os currículos, definindo os objetivos de aprendizagens e a contextualização dos conhecimentos a serem trabalhados pelas escolas, a partir de seus projetos político-pedagógicos, em cada rede de ensino, tendo em vista a promoção da equidade e um ensino de qualidade para todas as escolas de educação básica do país.

Nesta linha, o próprio documento aponta que a BNCC “supõe a igualdade de oportunidades para ingressar, permanecer e aprender na escola, por meio do estabelecimento de um patamar de aprendizagem e desenvolvimento a que todos têm direito” (BRASIL, 2017, 11). Read more →

ANSIEDADE ATRELADA À ESCOLA É OBSTÁCULO PARA ALUNOS BRASILEIROS

Ansiedade atrelada à escola é obstáculo para alunos brasileiros

Jornal da Ciência, 20 de abril de 2017

Os dados referentes ao Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) de 2015, divulgados nesta semana, trazem como foco o bem-estar dos estudantes, isto é, se eles se sentem felizes na escola e se possuem relações positivas com seus pares

Existe uma relação direta entre a performance acadêmica dos alunos, a qualidade de seus relacionamentos e a satisfação com suas vidas? Tentando responder essa pergunta a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou novos dados referentes ao Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA), de 2015, avaliação conhecida internacionalmente por aferir a qualidade e equidade dos sistemas escolares a partir da proficiência dos alunos em ciência, leitura e matemática.

Desta vez, no entanto, os resultados apresentados trazem como foco o bem-estar dos estudantes, isto é, se eles se sentem felizes na escola e possuem relações positivas com seus pares. Batizado de Students’ Well-Being: PISA Results 2015, o relatório compilou respostas de cerca de 540 mil jovens de 15 anos de idade de 72 países. Read more →

Notório saber: afinal, quem é o profissional da educação?

NOTÓRIO SABER: afinal, quem é o profissional da educação?

Dra. Sílvia Lúcia Soares

 

António Nóvoa, reitor honorário da Universidade de Lisboa e candidato às últimas eleições presidenciais de Portugal, ao analisar a Reforma Curricular do Ensino Médio no Brasil e a adoção do notório saber com critério para a escolha de docentes, deixa claro que esse modelo foi copiado do programa Teachers For America, do George Bush, e afirma ter sido ele um desastre.

A entrevista desse estudioso à Carta educação, no dia 28 de março de 2017, aguçou em mim a vontade e a necessidade de reforçar a reflexão a respeito da função do professor, posta nesse momento, em contexto tão adverso e na contramão das lutas históricas dos professores pela valorização dos profissionais da educação no Brasil.

Partimos da premissa de que toda profissão carece de saberes específicos para adquirir o reconhecimento de estatuto profissional. Para tanto, recorrendo a Guathier (1998, p. 20), que afirma que: “uma das condições essenciais a toda profissão é a formalização dos saberes necessários à execução das tarefas que lhe são próprias”, indagamos: quem é o profissional do ensino? O que diferencia o educador do sujeito com “notório saber”? Read more →

“SE FOSSE BRASILEIRO, ESTARIA INDIGNADO COM A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO”

“SE FOSSE BRASILEIRO, ESTARIA INDIGNADO COM A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO”

Benigna Maria de Freitas Villas Boas

Em entrevista à Carta Educação, em 28/03/2017, Antônio Nóvoa, reitor honorário da Universidade de Lisboa, afirma que “nós temos um discurso muito gongórico, excessivo sobre a importância da educação, quando as condições básicas não estão sequer asseguradas. Portanto, a primeira coisa que a sociedade brasileira precisa fazer coletivamente, independentemente de partidos políticos, é garantir essas condições básicas de funcionamento para as escolas, que incluem as condições para o exercício do trabalho dos professores. Se não fizer isso, todo o resto é conversa, coisas para ilustrar a mídia, mas que não têm o menor impacto. Não conseguimos mudar a educação se isso não for um desígnio coletivo da sociedade. Não pode ser um problema dos professores ou dos pedagogos ou do partido A ou partido B. No Brasil, vejo que há muita conversa, muito discurso, mas pouco compromisso concreto com a educação pública brasileira. Há pouca indignação e, se eu fosse brasileiro, estaria indignado com a situação da educação pública”. Read more →

29
Mar 2017
AUTHOR Villas Boas
COMMENTS No Comments

PLANOS DE AULA GRATUITOS

PLANOS DE AULA GRATUITOS

Benigna Maria de Freitas Villas Boas

Com apoio da Fundação Lemann e Google, Nova Escola publicará milhares de planos de aula gratuitos e alinhados à Base Nacional Comum. Segundo notícia veiculada pela Nova Escola em seu site, o projeto foi anunciado dia 22 de março e vai oferecer recursos pedagógicos de alta qualidade para ajudar os professores a garantir o aprendizado dos seus alunos. Pretende-se que até 2019 qualquer professor ou professora da educação infantil e de todo o ensino fundamental tenha acesso a 6 mil planos de aula. Read more →

PESQUISAS EM DESENVOLVIMENTO PELO GEPA 2017/2018

PESQUISAS EM DESENVOLVIMENTO PELO GEPA 2017/2018

 

1 Título – A criatividade no trabalho pedagógico do professor do ensino superior e a avaliação para as aprendizagens: desafios da formação universitária

Pesquisadoras: Professora Dra. Elisângela T. Gomes Dias – Secretaria de Educação do DF e Diretora da Faculdade LS; Professora Dra. Tatiana Arruda – professora da Faculdade LS

Objetivo geral: compreender o processo avaliativo na educação superior com foco na expressão criativa.

2 Título – A evasão/retenção escolar no Curso de Licenciatura em Letras/Espanhol do Instituto Federal de Brasília, segundo a percepção de estudantes

Pesquisadora: Professora Dra. Simone Gontijo – Instituto Federal de Brasília

Objetivo:

Identificar estudantes evadidos, excluídos e que solicitarem mobilidade, em relação ao curso de licenciatura em Letras/Espanhol nos anos-base de 2013, 2014, 2015 e 2016. Read more →

O LUGAR DA AVALIAÇÃO NO PROCESSO FORMATIVO DO PROFESSOR TEM SIDO NEGLIGENCIADO

O LUGAR DA AVALIÇÃO NO PROCESSO FORMATIVO DO PROFESSOR TEM SIDO NEGLIGENCIADO

Profa. Dra. Sílvia Lúcia Soares

 

E notória a evidência que a avaliação vem adquirindo nos diversos âmbitos do Estado, bem como a ampliação de sua intervenção para além dos limites da sala de aula. Tal fato é evidenciado na centralidade da avaliação nas políticas públicas, na evidente ampliação das funções atribuídas a ela no contexto atual e, sobretudo, em seu uso como mecanismo de promoção e manutenção e legitimação da exclusão social.

No entanto, ao mesmo tempo em que a avaliação expande seus modelos e objetivos, assumindo outros significados, inclusive no âmbito educacional, nos cursos de formação de professores, o estudo sobre essa categoria continua quase ausente ou abordado de maneira superficial. Tal fato é paradoxal, uma vez que esses cursos formarão futuros avaliadores.

Em decorrência, evidencia-se que os docentes, quando no desempenho de suas funções, apresentam despreparo para lidar com a avaliação em suas dimensões: política, sociológica e pedagógica. Parece oportuno afirmarmos que, no cenário da formação de professores¸ o acesso aos conhecimentos sobre a avaliação continua efetivando-se de forma fragmentada, dispersa e superficial. Read more →

ESFORÇO EM VÃO: PISA MOSTRA QUE DEVER DE CASA NEM SEMPRE AJUDA A MELHORAR SEU DESEMPENHO. É PRECISO ORIENTAR OS ALUNOS QUE MAIS PRECISAM DE AJUDA

Esforço em vão: Pisa mostra que dever de casa nem sempre ajuda o estudante a melhorar seu desempenho. É preciso orientar os alunos que mais precisam de ajuda.

por Antônio Gois

30/12/2016 16:38

Jovens que passam mais tempo estudando depois da escola ou fazendo dever de casa apresentam resultados piores no Pisa. Essa conclusão vai contra o senso comum, mas consta do relatório do exame, cujos resultados de 2015 foram divulgados há três semanas pela OCDE (entidade que organiza o teste, aplicado a jovens de 15 anos em 72 países e territórios). Mas antes de iniciarmos uma campanha contra as tarefas de casa, é preciso entender melhor o que explica esse resultado.

Um primeiro cuidado na análise é que, como alerta a OCDE no relatório do Pisa, o menor desempenho acadêmico dos jovens que passam mais tempo estudando fora da escola não necessariamente significa que esta ação seja a causa do mau desempenho. Pode ser simplesmente que alunos que estão tendo mais dificuldades na escola estejam tentando compensar a defasagem que têm em relação aos colegas dedicando mais tempo ao estudo. Ou seja, por apresentarem mais dificuldade, acabam estudando mais do que os outros. Read more →

09
Jan 2017
AUTHOR Villas Boas
CATEGORY

Dever de casa

COMMENTS No Comments

CADERNOS CEDES: NÚMERO SOBRE AVALIAÇÃO

Cadernos CEDES: número sobre avaliação

Publicado em 27/12/2016 por Luiz Carlos de Freitas

A publicação Cadernos CEDES em seu número 99, recém lançado, tem como tema “AVALIAÇÃO EDUCACIONAL: um campo em movimento e disputa”. O número foi organizado por Regina Helena Bertagna e Mara Regina Lemes de Sordi. Read more →